Célula fotovoltaica transparente pode transformar janelas em painéis solares

Que a energia solar é a energia do futuro, disso não há dúvidas. Ainda que os painéis solares permaneçam caros e atendam bem apenas pequenas demandas, como as residenciais, cientistas do mundo todo trabalham para melhorar a tecnologia — e até deixá-la, quem sabe, com uma aparência mais aceitável.

A tentativa mais recente é assinada por pesquisadores da Universidade Estadual de Michigan. Eles desenvolveram um tipo de célula solar que pode ser aplicada em janelas, vidros de carro e outros objetos. A técnica garante boa absorção dos raios solares, e pode ser tão eficiente quanto a versão mais convencional, instalada no topo das casas.

Quando posicionado em objetos vítreos, o dispositivo é capaz de gerar energia. A célula solar transparente se parece com um pedaço de vidro, e usa moléculas orgânicas desenvolvidas pelos próprios cientistas para absorver comprimentos invisíveis de luz solar. O material é ajustado para captar ondas no campo do ultravioleta e do infravermelho, convertendo depois essa energia em eletricidade, graças a pequenos filamentos de células fotovoltaicas presentes no seu interior.

É por conta disso que não há perda nenhuma de visibilidade — já que nenhum humano consegue ver acima do ultravioleta ou abaixo do infravermelho. Ou seja, você não perderá a luz do sol dentro de casa enquanto estiver produzindo energia. Além disso, veículos elétricos podem usar os novos painéis para alimentar seus equipamentos internos, e eletrônicos podem estender a vida útil de suas baterias durante as horas de sol.

De acordo com Richard Lunt, que liderou os experimentos, as células solares transparentes registraram eficiência na casa dos 5%. A efeito de comparação, a eficácia de painéis tradicionais fica entre 15 e 18%. A principal diferença entre os dois, no entanto, é a possibilidade de se aplicar a cobertura transparente em uma área maior e mais diversa. Os pesquisadores estimam que, se aplicada em todas as superfícies de vidro estimadas nos Estados Unidos, o dispositivo poderia criar energia suficiente para gerar 40% da demanda do país.

“É para isso que estamos trabalhando”, disse Lunt, em comunicado. “As aplicações de energia solar mais tradicionais foram pesquisadas durante as últimas cinco décadas, enquanto nós trabalhamos nessa nova versão há apenas cinco anos. Acreditamos que a tecnologia oferece um caminho promissor para a adoção de energia solar barata e acessível, em escala que, até agora, é completamente fora da realidade.”

Você pode ver uma dessas células solares transparentes em ação no vídeo abaixo. O estudo foi publicado no Nature Energy.

 

Fonte: super.abril.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.