IRENA – Estudo da IEA gera possível cenário menor que +2°C na temperatura global com o uso de energia renovável

Tradução original da Fotovoltaica Energia Solar

 

Como pedido ao Governo da Alemanha, a Agência Internacional de Energia Renovável (da sigla inglês IRENA)  e a Agência Internacional de energia (da sigla inglês IEA) conduziram um estudo para determinar o quanto é possível crescer a economia global enquanto se honra o juramento feito pela comunidade mundial em Paris para prevenir que a temperatura mundial de se elevar mais do que 2° C (graus Celsius).

O resultado? O estudo concluiu que a emissão de gás carbônico (CO²) realizada métodos atuais de produção de energia (hidrelétrica, termelétrica…) possam ser reduzidas em 70% até o ano de 2050 e eliminada totalmente em 2060 sem causar redução no crescimento global.

“O Acordo de Paris refletiu uma determinação internacional sem precedentes de ação pelo clima. O foco do momento deverá ser a descarbonização do sistema de energia global levando em conta quase dois terços das emissões dos gases estufa. Criticamente, o argumento econômico para a transição energética nunca foi tão forte. Hoje pelo mundo, as novas usinas de energia renováveis que estão sendo construídas irão gerar eletricidade por menor custo que as usinas baseadas em combustível fóssil. E através dos anos 2050, a descarbonização pode alimentar um crescimento econômico sustentável e criar novas profissões em recursos renováveis.”  Adnan Z. Amin, Diretor Geral do IRENA

O estudo é intitulado “Perspectivas pela energia de transição: investimentos necessários para uma transição energética de baixa geração de carbono.” [Perspectives for the Energy Transition: Investment Needs for a Low-Carbon Energy Transition]. A tese é que o aumento do desenvolvimento das energia renováveis e da eficiência energética mundial podem atingir uma redução necessária nas emissões para prevenir que a temperatura global de aumentar em mais do que 2° Celsius, enquanto permite que a economia global continue crescendo.

Descarbonização é essencial

A descarbonização da geração de energia é citada como a estrategia mais importante para limitar o aquecimento global. As reduções acentuadas no custo da energia solar e eólica estão fazendo com que as energia renováveis possam substituir as usinas de geração com combustível fóssil pelo mundo pelas próximas décadas. Como um benefício adicional, a instalação de toda essa matriz renovável irá alimentar a criação de profissões no mundo dos negócios. “Nós estamos em uma boa posição de transformar o sistema de energia global, mas o sucesso dependerá de uma ação urgente, já que os atrasos irão aumentar os custos de descarbonização.” diz Adnan Amin do IRENA.

Para Atender aos objetivos do clima definidos no acordo de Paris e manter o aumento do aquecimento global abaixo de 2° Celsius, as emissões globais de carbono da economia precisarão ser reduzidas em 85% pelos próximos 35 anos, ou uma média de 2.6% ao ano; Se isso soar fácil, isso não é. Isso é um ritmo de redução três vezes mais rápido do que o mundo já experimentou nos últimos 10 anos.

Demonstrativo, em inglês, da estimativa de redução necessária da emissão de gás carbônico para o ano de 2050, comparado com agora e as percentagens de redução estimadas por cada método usado.

Como nós chegaremos lá?

A questão principal que o governo da Alemanha possuía era como promover investimentos em tecnologias de geração de baixa emissão de carbono na geração, transporte e para aquecimento e resfriamento dos edifícios comerciais sem arrastar para baixo a economia mundial.  Ambos os grupos usaram diferentes aproximações, porém os resultados acabaram se convergindo quando veio o momento de detalhar os resultados. Ambos concordaram que o mundo precisará ter dois terços de toda sua necessidade energética derivada fontes renováveis até o ano de 2050 em ordem de atingir o objetivo desejado.

O estudo também encontra que os edifícios comerciais, indústrias e o setor de transportes precisam utilizar de sistemas de bioenergia, aquecimento solar e eletricidade advindas de recursos renováveis que substituam os combustíveis fósseis. Veículos elétricos precisarão ser o modo predominante de transporte até 2050. A produção de biocombustível líquido precisa aumentar num fator de escala dez. Construções com equipamentos elétricos de alta eficiência devem ser considerados como padrão. A instalação de transmissores de calor [Heat pumps¹] precisa acelerar e uma combinação de até 2 bilhões de edificações precisarão serem construídas ou renovadas.

Os desafios a frente

Esses são objetivos ambiciosos e irão requerer uma ação agressiva por todas as nações para ter sucesso, isso incluindo acabar com todos os subsídios aos combustíveis fósseis e um aumento nos custos de dessas fontes de carbono para pelo menos $190 (dólares) por tonelada. As energias eólica e solar precisarão se tornar as maiores fontes de energia até o ano de 2030. As linhas de transmissão de energia precisarão ser desenhadas para acomodar a produção local mais elevada de energia renovável.

Combustíveis fósseis não desaparecerão completamente, apesar da queima do carvão precisará reduzir dramaticamente. Óleo ainda será necessário para certas aplicações e o gás natural também terá uma função significativa. A diferença é que atualmente, o combustível fóssil domina o setor energético, e pelo ano de 2050, os recursos renováveis deverão se tornar a principal fonte de energia da humanidade.

Sem uma queda rápida nos custos de instalação dos sistemas de energia renovável, a visão da IRENA e a IEA seria impossível. Nenhuma quantidade de palestras, convenções, diálogos e mandatos de governos serão o suficiente para substituir os imperativos do mercado que estão inextricavelmente ligados aos sinais dos preços. O melhor que os governos podem fazer é promover políticas que encorajam o investimento em sistemas de energia de baixa geração de carbono e deixar que o mercado resolva o resto.

 

 

Nota do tradutor:

Heat pump¹: Transmite calor de uma área mais fria para uma mais quente utilizando do princípio de convecção, como acontece com a geladeira e o ar-condicionado.

 

Traduzido por Fábio C. Minhaqui da Silva

Fontes (do inglês): Cleantechnica.com, Greencarcongress.com

É permitido a cópia e a distribuição dessa tradução, desde que mencionada a fonte da tradução e do original, a fim de incentivar tanto quem compôs o material, quanto o tradutor em questão.

2 comentários em “IRENA – Estudo da IEA gera possível cenário menor que +2°C na temperatura global com o uso de energia renovável

  1. Fábio C. Minhaqui da Silva Responder

    Bence, a notícia é uma tradução de uma que achei a 4 dias atrás
    se fosse para fazer algum tipo de piada, tornaria em algo mais absurdo, como colocar uma fonte estranha ou ousar com o conceito de uso da energia solar para resfriar o planeta… se bem que já existe uma pesquisa envolvendo isso para ambientes, então só seria um exagero

    para quem estiver acompanhando as noticias na Fotovoltaica, podem colocar suas opiniões sobre elas na notícia como anônimo mesmo, não é obrigatório colocar o e-mail para postar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.